SEGURANÇA NOS LABORATÓRIOS QUÍMICOS

Sumário

Voltar à Página Principal

1 - INTRODUÇÃO

2 - PROTECÇÃO PESSOAL

2.1 - PROTECÇÃO DOS OLHOS

2.2 - PROTECÇÃO DO CORPO

3 - PROTECÇÃO DAS VIAS RESPIRATÓRIAS

4 - HIGIENE PESSOAL

5 - O ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS

5.1 - ARMAZÉNS

5.2 - PRATELEIRAS

5.3 - ROTULAGEM DOS RECIPIENTES

5.4 - RECIPIENTES PARA ARMAZENAMENTO

5.5 - ARMAZENAMENTO DE COMPOSTOS QUÍMICOS

5.6 - ÁCIDOS

5.7 - BASES

5.8 - INFLAMÁVEIS

5.9 - COMPOSTOS QUE FORMAM PERÓXIDOS

5.10 - COMPOSTOS REACTIVOS COM ÁGUA

5.11 - OXIDANTES

5.12 - COMPOSTOS TÓXICOS

5.13 - CILINDROS DE GÁS

6 - DESTRUIÇÃO DE RESÍDUOS

7 - MATERIAL SAFETY DATA SHEET INDEX - MSDS

 

 


1 - INTRODUÇÃO

A segurança é uma responsabilidade colectiva que requer a cooperação de todos os indivíduos do laboratório.

Os acidentes resultam normalmente de uma atitude indiferente dos utilizadores, ausência de senso comum ou falha no cumprimento das instruções a seguir.

Antes de qualquer trabalho laboratorial o operador deve estar informado sobre os riscos dos produtos químicos a utilizar, bem como conhecer as precauções de segurança e os procedimentos de emergência a ter em caso de acidente, para se proteger dos possíveis riscos.

Os riscos envolvidos na utilização do equipamento e no seu manuseamento.

Saber como actuar para se proteger a si e aos outros desses riscos.

Todos os trabalhadores do laboratório devem:

a) Seguir cuidadosamente as instruções de segurança e emergência fornecidas.

b) Conhecer perfeitamente a localização e funcionamento de todo o equipamento de emergência localizado no seu local de trabalho, nomeadamente Extintores, Bocas de Incêndio e baldes de areia, detecção de incêndio, fontes lava-olhos, chuveiros de emergência e telefones (números de emergência) da portaria, bombeiros e centro de venenos.

 

Boca de incêndio do "tipo carretel"

Extintor de Pó ABC de 6 kg

 

 

c) Ter conhecimento do Plano de Emergência Interno e ser periodicamente testado; Afixar Plantas de Emergência com instruções especiais para laboratórios.

 

Planta de emergência

Saída de emergência devidamente assinalada

 Voltar ao Início desta folha

 

 

2 - PROTECÇÃO PESSOAL

2.1 - PROTECÇÃO DOS OLHOS

Chuveiro e Lava-olhos

 Pormenor do Lava-olhos

 

- Óculos de Segurança - As lentes de contacto são proibidas no laboratório porque podem facilitar o contacto da córnea com corpos estranhos provocando a sua lesão, serem difícil de remover no caso de salpicos. As lentes acrílicas representam um perigo adicional porque podem absorver e reter vapores químicos.

- Ecrã de protecção Quando for caso disso.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

2.2 - PROTECÇÃO DO CORPO

- Bata - Protecção contra salpicos; deve ser fácil de remover em caso de acidente; devem evitar-se os tecidos que ardam facilmente ou que façam uma massa quando fundidos. Evitar também aqueles que possam desenvolver electricidade estática. O algodão é uma boa opção na generalidade dos casos.

- Calçado - Não se devem usar: Sapatos de salto alto, sandálias, sapatos de tecido.

- Luvas - Atenção: As luvas por vezes são permeáveis aos compostos químicos. Devem ser removidas antes de abandonar o local de trabalho e antes de pegar em telefones, fechos de portas, canetas e caderno de laboratório.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

3 - PROTECÇÃO DAS VIAS RESPIRATÓRIAS

 

- Máscaras

Em todos os trabalhos onde se libertem gases, vapores ou poeiras prejudiciais à saúde devem estar disponíveis aparelhos de protecção respiratória para que possam ser utilizados em caso de necessidade.

As máscaras podem ser de protecção total (boca, nariz e olhos) ou protecção facial (boca e nariz).

Devem estar preparadas para se adaptarem perfeitamente à cara do utilizador.

As máscaras devem ser cuidadosamente limpas, higienizadas, secas e guardadas em armários fora da acção de gases contaminantes. Os filtros que estejam fora da duração ou que estejam saturados devem ser substituídos por novos.

É de considerar que uma máscara de filtro só deve ser utilizada quando se sabe que a concentração do poluente na atmosfera não excede 2% em volume e o oxigénio do ar tem concentração superior a 15% em volume.

 

- Filtros

Os filtros são específicos dos poluentes a que se destinam.

Eles são indicados por uma cor e uma letra.

 

FILTROS ESPECÍFICOS DE POLUENTES

LETRA

COR

POLUENTES

A

Castanho

Vapores orgânicos solventes.

B

Cinzento

Gases ácidos, halogéneos, ácido cianídrico, ácido sulfídrico, hidretos de arsénio, hidretos de fósforo, gases de queima excepto o monóxido de carbono.

CO

Anel negro

Monóxido de carbono.

E

Amarelo

Ácidos sulfurosos.

K

Verde

Amoníaco, pequenas % de ácido sulfídrico.

 

Para além destes filtros também há os chamados "filtros combinados". Estes podem ter várias pastilhas absorventes e ainda outros contra poeiras. Neste caso para além da letra ou letras que referimos tem a indicação "St".

Os filtros, mesmo armazenados têm um prazo máximo de duração:

Tipo A - 5 anos;

Tipo B e CO - 4 anos;

Tipo E e K - 3 anos.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

4 - HIGIENE PESSOAL

Todos os que utilizam um laboratório químico devem evitar os perigos da ingestão dos compostos químicos.

As seguintes precauções do senso comum minimizam a possibilidade a essa exposição:

Não preparar, guardar ou consumir comida ou bebidas no laboratório;

Não fumar no laboratório ou nas suas proximidades, tendo em consideração que os maços que se encontram em embalagens abertas podem absorver os vapores químicos;

Não aplicar cosméticos no laboratório;

Lavar as mãos antes de sair do laboratório mesmo que tenha usado luvas;

Lavar a bata na qual tenha ocorrido salpicos de produtos químicos separada da roupa pessoal;

Nunca usar ou transportar a bata para áreas onde haja alimentos;

Usar sempre os cabelos curtos ou apanhados.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5 - O ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS DEVEM CUMPRIR AS SEGUINTES CONDIÇÕES:

 

5.1 - ARMAZÉNS

Estar devidamente identificados e em condições de segurança;

Só terem acesso pessoas devidamente autorizadas;

Ter pelo menos duas saídas;

Estar devidamente iluminados e ventilados;

Serem providos de sistema de arrefecimento de ar;

Não permitir fumar nem fazer lume;

Não ser permitido usar aquecimentos;

Não ser permitido misturar ou transferir químicos;

As vias de evacuação estarem desimpedidas.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.2 - PRATELEIRAS

As garrafas e contentores maiores estarem armazenados a menos de 60 cm do chão;

Contentores de produtos químicos corrosivos estarem abaixo do nível dos olhos;

As prateleiras estarem inclinadas ou ter guardas para evitar a queda dos contentores;

Existir espaço suficiente e os compostos não estarem uns em cima dos outros;

Não haver garrafas vazias nas prateleiras;

As prateleiras serem estáveis, resistentes e devidamente presas às paredes;

As prateleiras estarem limpas, libertas de poeiras e de contaminação dos químicos. 

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.3 - ROTULAGEM DOS RECIPIENTES

Todos os frascos estarem devidamente rotulados com o seu conteúdo;

Os rótulos serem legíveis e livres de contaminações ou corrosão;

Os rótulos estarem devidamente ligados aos frascos ou contentores;

Os contentores estarem rotulados com os avisos adequados (venenoso, corrosivo, etc);

Todos os contentores apresentarem data de compra e o prazo de validade;

Os rótulos incluem as precauções necessárias para o composto específico. 

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.4 - RECIPIENTES PARA ARMAZENAMENTO

Os recipientes devem ser inspeccionados periodicamente para verificar o estado de corrosão e fugas;

Os recipientes sem condições serem removidos ou reparados imediatamente;

Os compostos devem ser guardados ao abrigo do ar, em frascos rolhados e não em recipientes abertos ao ar;

As rolhas serem de fácil remoção;

Os frascos com mercúrio estarem bem rolhados. 

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.5 - ARMAZENAMENTO DE COMPOSTOS QUÍMICOS

Os compostos químicos não podem estar expostos à luz directa do sol ou do calor;

Os contentores de compostos corrosivos devem estar em contentores capazes de conter as fugas caso existam;

Os compostos estão guardados segundo classes de reactividade (inflamáveis com inflamáveis, oxidantes com oxidantes, etc.);

Estar disponíveis uma lista de compostos compatíveis e incompatíveis para consulta;

Os compostos incompatíveis devem estar separados uns dos outros durante a armazenagem. 

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.6 - ÁCIDOS

Armário próprio para  produtos corrosivos.

 

As garrafas de ácidos grandes devem estar armazenadas nas prateleiras baixas;

Os ácidos oxidantes devem estar separados dos ácidos orgânicos e de materiais combustíveis e inflamáveis;

Os ácidos devem estar separados das bases, de metais reactivos como o sódio, magnésio e potássio;

Os ácidos devem estar afastados dos compostos com os quais podem gerar gases tóxicos por contacto, tais como o sódio, o cianeto, etc.;

Estarem disponíveis soluções para neutralizar os ácidos salpicados.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.7 - BASES

As bases devem estar armazenadas longe dos ácidos;

As soluções de hidróxidos inorgânicos devem estar armazenadas em frascos de plástico (Polietileno);

Estarem disponíveis soluções para neutralizar os salpicas de bases. 

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.8 - INFLAMÁVEIS

Os compostos inflamáveis devem estar armazenados longe de qualquer fonte de ignição;

Só os frigoríficos aprovados deve ser usados para armazenar líquidos voláteis altamente inflamáveis.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.9 - COMPOSTOS QUE FORMAM PERÓXIDOS

Os compostos que formem peróxidos devem estar armazenados em recipientes que não deixem entrar o ar e luz, num local fresco e seco e destruídos adequadamente antes da data do prazo de validade;

Os compostos estão assinalados com a data de compra, a de abertura e o prazo de validade.

 Voltar ao Início desta folha

 

5.10 - COMPOSTOS REACTIVOS COM ÁGUA

Os compostos devem estar armazenados em local seco e fresco.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.11 - OXIDANTES

Os oxidantes devem estar armazenados longe de agentes redutores, compostos inflamáveis ou combustíveis e guardados ao abrigo do ar.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.12 - COMPOSTOS TÓXICOS

Compostos tóxicos devem estar armazenados de acordo com a natureza do composto.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

5.13 - CILINDROS DE GÁS

Cabine de gases

Identificação dos gases

 

Todos os cilindros devem estar presos de modo a evitar quedas;

Devem estar armazenados longe de fontes de calor directo ou lume;

Estarem armazenados em local fresco e seco longe de vapores corrosivos ou de compostos químicos;

Estarem armazenadas longe de substâncias altamente inflamáveis;

As garrafas vazias estarem marcadas com vazio e armazenadas em local separado das cheias; Gases inflamáveis e tóxicos devem estar armazenados ao nível do chão ou abaixo;

As garrafas de gases incompatíveis devem estar separadas por distâncias consideráveis; Quando o cilindro não estiver a ser utilizado a tampa de segurança deve estar colocada;

Deve existir um carro adequado para transporte dos cilindros.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

6 - DESTRUIÇÃO DE RESÍDUOS

Apenas se deve recorrer à destruição ou encaminhamento de resíduos depois de se ter feito todos os esforços para os minimizar. Para tal podemos recorrer a:

Planeamento de experiências (redução do volume de resíduos produzidos e de desperdícios, evitar situações difíceis de resolver);

Redução das escalas de experiência;

Permuta de reagentes;

Reciclagem de solventes;

Reutilização de produtos recuperados;

Plano integrado de gestão dos resíduos laboratoriais.

 Voltar ao Início desta folha

 

 

7 - MATERIAL SAFETY DATA SHEET INDEX - MSDS

Hoje em dia, através da Internet, temos acesso às características físicas e químicas da maioria dos matérias perigosas através de bases de dados existentes, conhecidas por MSDS.

Como exemplo temos:

- scrif.cnig.pt/asp/materias.asp

- msds.pdc.cornell.edu/msdssrch.asp

- research.nwfsc.noaa.gov/msds

 

 


BIOGRAFIA

Curso de Segurança em Laboratórios de Química (2000) – Profª. Drª. M. Manuela Pereira – Faculdade de Química - FCT – Universidade Nova de Lisboa, realizado em Coimbra com o apoio da Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra.

FOTOS

Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra.

AGRADECIMENTOS

Prof. Hermínio Sousa do Departamento de Química da FCTUC.


 Voltar ao Início desta folha

Voltar à Página Principal


Data da elaboração desta página: 11-03-2002